Eu e a Menopausa

ESTOU NA MENOPAUSA?

Os primeiros sinais correspondem a diminuição de progesterona por ciclos anovulatórios, e mais tarde hipoestrogenismo (redução de estrogénios). As alterações do ciclo menstrual, podem iniciar-se 4 a 8 anos antes da menopausa, existindo inicialmente encurtamento da periodicidade e a menstruação difere do padrão habitual no que respeita à duração e quantidade de fluxo. Mais tardiamente a maior

frequência de ciclos anovulatórios introduz uma tendência para aumento da duração dos ciclos, ausência de menstruação e frequentemente um padrão de hemorragia uterina anómala (HUA). Durante esta fase, apesar de diminuída a fertilidade das mulheres mantém-se, até 25% dos ciclos podem ser ovulatórios, pelo que é importante a manutenção de uma contraceção adequada.

O que é a menopausa?

 

A menopausa é um acontecimento fisiológico, definida como o cessar da menstruação resultante da perda de atividade folicular ovárica e ocorre na mulher por volta dos 50-51 anos de idade.

O evento anatómico e fisiológico que está na base da menopausa é a falência da função dos ovários que se traduz num estado hormonal que cursa com níveis de estrogénios baixos.

Os estrogénios são muito importantes no equilíbrio físico e também psicológico da mulher porque existem recetores de estrogénios na maioria dos órgãos compreendendo-se que a sua redução acentuada traga alguns sintomas imediatos e outros mais tardios.

Eu e a menopausa

 

A menopausa é um acontecimento central na vida da mulher, constitui um verdadeiro marco no seu percurso. Tudo decorre do facto dos ovários perderam a sua pujança funcional, o que é perfeitamente natural, na maior parte dos casos. O problema são as implicações que a menopausa tem na vida da mulher atual – exigências profissionais, sociais e relacionais muito superiores, associadas a uma esperança de vida muito mais longa, fazendo com que as consequências a médio e longo prazo tenham outra importância.

O organismo feminino, o corpo sofre alterações progressivas muito importantes, com particular destaque para o aumento de peso, deterioração nos metabolismos cerebral, cardiovascular, ósseo, genito-urinário, entre outros.

A menopausa tem como consequências imediatas, graves perturbações na qualidade de vida da mulher: calores, afrontamentos, insónias, transpiração excessiva, irritabilidade, perda de capacidade de iniciativa, etc. A expressão desses sintomas é variável de mulher para mulher.

As consequências mais tardias, são: osteoporose, doenças cardiovasculares, redução das funções cognitivas e atrofia urogenital.

A menopausa ocorre por volta dos 50 anos de idade – não se deve desvalorizar o facto de que a longevidade da mulher ser superior aos 80 anos, muitas atingem os 90. São 30 a 40 anos numa nova fase de vida que pode e deve ser ajustada a novas necessidades. Procure esclarecer-se, procure respostas e tome as opções que julgue melhores.

Diagnóstico

A definição de menopausa é clinica e retrospetiva, após amenorreia (sem período menstrual) de um ano, os tipos de sintomas servem para confirmar a se sim ou não está na menopausa. A contagem de folículos antrais, doseamento de FSH, HAM e inibina B são incluídos como critérios suplementares, mas não essenciais para o diagnostico de menopausa, sendo importantes para a avaliação da fertilidade.

Sintomas e Tratamentos

 

Os sintomas mais frequentes a curto/médio prazo são aqueles que mais preocupam as mulheres e a principal causa de pedido de consulta e de apoio.

Os sintomas mais comuns caraterizam-se por:

Cerca de metade das mulheres referem-na como sendo incapacitante, condicionando o seu quotidiano e podendo prolongar-se, em 50% dos casos, durante mais de cinco anos após a menopausa.

Embora seja um acontecimento fisiológico, pode necessitar de um acompanhamento médico a curto, médio e longo prazo, para ter uma resposta adequada as necessidades de cada mulher.

Apoios